You are here:

HomegengibreSegredos do Gengibre para Sushi
Segredos do Gengibre para Sushi
11 14

O gengibre que se come nos restaurantes japoneses, chamado de “gari”, é feito em fatias bem fininhas, tem cor amarelo suave e sabor adocicado. A receita eu já passei para vocês neste post, mas desta vez vou focar no gengibre em si.

Todos sabem que a qualidade dos ingredientes interfere diretamente no resultado de uma receita, como já foi dito por exemplo sobre o arroz – minha preferência é pelo mirokumai devido a toda diferença que ele faz no meu sushi.

Para o gari, não é diferente. É imprescindível que você escolha um gengibre muito bom.  E o que seria “muito bom”?! A resposta é simples: o gengibre tem que ser jovem.

Sabe o rostinho de uma criança, bem lisinho, branquinho, de bochechas rosadas, sem nenhuma ruga e pele fininha? Um gengibre jovem é mais ou menos assim. Quanto mais jovem ele for, mais fina será a pele (tão fina que não dá nem pra chamar de casca); mais branquinho ele vai ser por dentro e mais rosado vai ser por fora:

gengibre jovem

Observe como ele tem “bochechas rosadas”! Esta é a primeira característica a ser observada.

Depois veja se a pele está saindo fácil. Passando a unha de leve já dá pra perceber. Neste ponto, você descasca ele inteiro com uma colher sem esforço algum:

descascar gengibre

A terceira característica do gengibre jovem é a parte interna, que deve ter aparência clara, homogênea e úmida. O gengibre chega a liberar um caldinho quando você corta. Um gengibre assim é muito macio e delicado ao paladar – está aí a resposta pra quem me pergunta o porquê dos gengibres de restaurante serem tão gostosos:

gengibre jovem

E por fim, o gengibre jovem não é fibroso, ele é liso feito uma batata. Se você começar a fatiá-lo e notar as fibras se abrindo ou mesmo dificultando o corte, é provável que ele já esteja maduro demais. Até acontece da gente encontrar gari fibroso, às vezes, nos restaurantes, ruim de mastigar. Mas isso é compreensível, visto que não é sempre que se tem gengibre jovem no mercado ou na feira (snif!). Se por acaso você abriu o post da receita do gari que eu linkei lá no início do texto, deve ter observado  que eu usei um gengibre meio maduro, tanto que precisei de descascador. Por isso, dou pulos de alegria quando encontro o bendito jovenzinho.

Tendo escolhido o gengibre ideal, veja se você consegue também o fatiador ideal. Já mencionei o Benriner como um dos queridinhos das cozinhas japonesas, mas não custa relembrar:

Benriner

Esse fatiador faz milagres por você. Corta fatias extremamente finas de gengibre e outros vegetais, atribuindo mais qualidade ainda à sua receita. Ah, e eu também já falei o quanto ele é eficaz pra ralar dedo, então tome muuuito cuidado ou use o protetor que acompanha o produto. Comprei um Benriner há 30 dias na Liberdade (SP) por R$120,00.

DICA EXTRA: algumas pessoas acham o gari meio forte, então mais uma vantagem do gengibre jovem é que ele pode ser fervido em água por uns 8 minutos pra ficar mais suave, sem mudar de cor (o gengibre maduro fica feio – ou mais feio ainda-  após fervido, adquirindo tonalidade de amarelo forte). Então fatie, ferva e depois  misture o molho da conserva.

Espero que esses segredinhos tenham te ajudado!

Abraços e bom gari! 

 


14 Comentários

  • Camila GabrieleJunho 11, 2015 at 16:35 

    Oiii Fernanda, eu aprendi a fazer sushi e gari com o seu blog, tudo muitooo bem explicadinho adorei.
    E sempre passo por aqui. Como combinei com alguns amigos de fazer sushi no final de semana, já corri no blog para relembrar algumas coisas importantes risos.
    O gari eu já fiz e ficou ótimo, mas ficou fibroso e bem forte, como eu gosto não me importei, mas queria que ficasse igual do restaurante. E agora entendi porque não ficou. Eu até usei um gengibre jovem, mas o meu estava na puberdade (risos) porque não estava rosado, mas a casca estava fina.
    Agora com esse seu post não erro mais. Realmente é muito dificil encontrar ele novinho assim. Tanto é que para receber os amigos em casa eu encomendei gari em um restaurante perto de casa, o pessoal lá é bem bacana e nem me cobraram por isso (risos). Claro que eles não sabem que eu vou me aventurar na cozinha neh, dei outra desculpa kkkk

    Parabéns pelo blog, é muuuuito bom e aprendo muito com você.
    Obrigada pelas dicas.

  • BiancaJunho 18, 2015 at 19:20 

    Olá Fernanda,
    Só queria te agradecer muito. Primeiro consegui fazer meu arroz e estou fazendo cada semana uma nova receita de sushi e temaki.

    Sobre o gari, agora entendo porque o meu ficou com uma coloração “estranha”..mas ima vez você explicou muito bem!!

    Muito obrigada! De verdade!

    Bjs

  • DiegoJunho 19, 2015 at 10:34 

    Curtir!

  • CHarles JorgeJulho 08, 2015 at 19:40 

    Valeu Fer pelas dicas.
    Descobri coisas que nem imaginava.

    bjao.
    Carlos

  • Danda MadalenaAgosto 14, 2015 at 21:28 

    Oi! Aprendi um pouco de culinária oriental através do seu blog.
    Parabéns por ser sempre prestativa. Grata.

  • Lucio CutriSetembro 18, 2015 at 14:22 

    Boa tarde.
    sou um adepto da Culinária Japonesa, sempre que posso vou a restaurante Japonês com minha família.
    gostei da receita que você postou, fiz outras vezes mas não ficou muito legal e agora vou experimentar essa nova receita.
    já faço alguns pratos em casa, muito legal
    sushi, sashimi, shimeje, e até temakes, é divertido
    Abraço
    Lucio

  • CaioDezembro 11, 2015 at 16:59 

    Ótimas dicas, sushi sem acompanhamento de gengibre não é sushi!
    Ótimo artigo, parabéns pelo seu blog!

  • ELISEUJaneiro 04, 2016 at 22:06 

    Olá, quero agradecer a dica pois segui exatamente a sua raceita e dicas, fiz uma pequena quantidade para ver como ficaria, e posso dizer que ficou um espetáculo. Obrigado. UM ABRAÇO.

  • GelianeMarço 25, 2016 at 1:28 

    Na minha cidade não encontrei gengibre jovem, depois de algumas tentativas resolvi então respeitar as fibras e cortar sem agredi-las, ou seja, cortei o gengibre pela lateral e confesso que o sabor ficou melhor. Preciso adquirir é um bom cortador, pois não consegui ainda cortar fininho. Sua receita é explicadinha e não tem como errar. obrigada. Muito obrigada, que Deus abençoe sempre você.

  • Saul MaiaMaio 25, 2016 at 18:59 

    BOA NOITE! GOSTARIA MUITO DE UMA ENFORMAÇÃO SERA QUE PODE SER USADO O GENGIBRE BRANCO.CHAMADO TAMBÉM DE LIRIO DO BREJO. GRATO

  • ELIANE MARQUES MACHADOJulho 10, 2016 at 8:05 

    Fe, amei suas dicas .Todas as vezes que ia comer sushi amava o gengibre em conserva , aliás o gari ,que aprendi com você .E perfeito o modo fácil é explicativo com que você ensina .
    Obrigada 🎀🙏🏻🎀💋💋💋💋💋💋💋💋💋💋💋

  • MilenaMarço 24, 2017 at 11:35 

    Oi Fernanda!!!

    Gostei muito do jeito que transmite seu conhecimento aos leigos como eu. Sempre fui medrosa com a culinária japonesa e você me fez quebrar esse receio! Linguagem fácil e dicas infalíveis! Adorei! Até criança entende!
    Gostaria de saber se posso fatiar o gengibre e o pepino em um multiprocessador, se obtém-se o mesmo resultado/ qualidade que no ralador manual.

    Sucesso querida!

    Você é massa! Beijokas!

    Milena

  • Sushi a La CarteMarço 26, 2017 at 0:35 

    Olá, Milena! Obrigada pelo comentário! Confesso que sempre usei fatiadores manuais, então não sei como ficaria num multiprocessador. Pode ser que dê certo! Abraços!

  • Sushi a La CarteMarço 26, 2017 at 0:38 

    Olá, Saul! Infelizmente, não tenho conhecimento sobre esse assunto. Até escrevi pra um produtor de gengibre questionando, mas não obtive resposta….Abraços!

Deixe um comentário


1 + 3 =

* obrigatório